quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sobre amor ou fidelidade

"Quanto tempo...
...Senti demais a sua falta. Voltei pra dizer que te amo."
Diria isso se pudesse te dizer alguma coisa neste momento. No entanto, limitações que estão acima de qualquer tentativa de explicação não permitem externar em palavras tudo aquilo que no meu peito aflora. Afinal, por quê, né? Por que calar a voz de quem tanto tem a dizer?
Enfim, não cabe a mim tentar entender essas coisas.
Quero te dizer também que eu não queria ir embora. Não aguentei de tanto ciúmes. Você estava cansada de saber que eu não aceitaria em hipótese alguma ser outro que não o principal de sua vida. Afinal, quantos anos... Mais da metade de minha vida.
Sei que você me ama, sempre amou e sempre me amará. E quero que você tenha a exata noção de que é exatamente isso que sinto por você, sempre senti e sempre sentirei. Mesmo distante.
Você não sabe o que passei, não sabe quando chorei, não sabe quanto sofri, não sabe o quanto caminhei pra chegar até aqui.
E hoje você não tem mais o culpado pela nossa separação. Mas tem a mim. E graças aos céus eu tenho você. E vou...
Vou atrás de você onde quer que você vá.

Um comentário: